Tenho recebido muitos e-mails com a mesma pergunta: como você sabe tanto sobre os neoliberais???? Como você conhece tão bem a modelagem econômica que eles seguem??? Então aqui vai a verdade: eu era um deles!

Há muitos anos eu era um neoliberal que acordava bem cedo, estudava e trabalhava o dia todo, e só ia me deitar tarde da noite, inclusive finais de semana. Por anos segui essa rotina solitária, acumulando um conhecimento vazio, mas que considerava importante. Até que num domingo pela manhã, quando ia para o trabalho, me deparei com uma piriguete voltando da farra. Ela bêbada me olhou com olhos maliciosos e disparou: aposto que tu é neoliberal!!!!! Por brincadeira, respondi que neoliberalismo era coisa do demônio. Ela sorriu e me levou pra cama. Foi um domingo maravilhoso.

Durante meses me correspondi com Jéssica, e a cada ofensa ao neoliberalismo, e elogio ao marxismo ou desenvolvimentismo ou qualquer outro ismo eu ganhava um prêmio. Certo dia olhei para Jéssica e disse: o capitalismo oprime o homem, não nos dá escolha. A mulher é mais oprimida ainda. Chorando Jessica ligou para Samantha, e disse: “Ele é o homem da minha vida, vem pra cá pra gente fazer um ménage”.

Eu que era pobre, tão logo comecei a defender ideias sociais passei a ganhar dinheiro. Abri minha primeira empresa, e então notei a importância do BNDES e dos bancos públicos. Sem eles esse sonho de ser empresário bem sucedido não seria possível.

Foi então que aquilo que começou por brincadeira passou a representar a realidade e num estalar de dedos tudo ficou claro: eu estava na escuridão e não sabia. O neoliberalismo tinha me afastado de tudo, somente estando completamente isolado é que essa teoria absurda, de que a inveja e a ganância são boas, faz sentido. Tão logo comecei a interagir com o mundo real, notei as falácias neoliberais.

E a cada nova mulher que se deitava comigo, e a cada novo financiamento que eu recebia do BNDES, eu ficava mais convicto de que esse é o sistema que melhor atende a sociedade. Sem inveja, sem ganância, com respeito ao próximo, com respeito as minorias, sim!!!! Um mundo melhor é possível.

Então nobre leitor, eu o convido, faça como eu: dê uma chance ao seu coração!!! Dê uma chance a social democracia!!! Liberte-se dos grilhões neoliberais da ganância e da inveja, chega de contestar o Bolsa Família ou o BNDES e os bancos públicas. Faça amor, pegue um financiamento público, não faça a guerra, não promova a mesquinhez!!! Você verá que dentro de ti nascerá um social democrata convicto.

Advertisements