Vejo os ortodoxos de plantão questionando o governo com base no desempenho do PIB. Essa crítica está errada por no mínimo 3 motivos:

1) nem tudo que é produzido entra no cálculo do PIB. A incrível e dinâmica informalidade brasileira, nosso famoso jeitinho, movimenta bilhões quiçá trilhões de reais que não entram na conta desse indicador ortodoxo;

2) de que adianta ter um PIB crescendo quando desmatamos a natureza e sacrificamos as gerações futuras. Marina Silva é muito feliz em apontar isso. Povo rico é aquele que preserva a natureza; e

3) mais importante que o PIB é a felicidade. Os próprios modelos neoliberais partem da maximização de funções de utilidade. Contudo, em vez de maximizarem DIRETAMENTE a utilidade (maximizando a felicidade) tais modelos preferem uma via indireta (maximizando a utilidade do consumo). Ora se o Brasil está cada vez mais feliz, tal como o Butão, então de que serve o PIB? Serve apenas para os radicais de direita criticarem o governo…

 

Povo feliz é povo rico!

Advertisements