Há muito me preocupava o BACEN. Apesar de repetidos acertos na condução da política monetária, sempre pairava no ar a suspeita de que a qualquer momento o viés neoliberal voltaria ao BACEN… olhei com suspeita a atual e desnecessária alta na taxa de juros promovida pelo Banco Central. Todos sabemos que a inflação é um problema estrutural, de gargalos, na infraestrutura. A maneira de se combater a inflação no Brasil é baixar a taxa de juros (para estimular o investimento privado) e, concomitantemente, elevar o investimento público em infraestrutura.

Para minha felicidade, me deparo com essa contunde declaração do Diretor de Política Monetária do BACEN:

O diretor de Política Monetária do Banco Central, Carlos Hamilton de Araújo, se defendeu de críticas sobre a avaliação do BC na área fiscal. No Relatório Trimestral de Inflação (RTI) divulgado nesta segunda-feira, 30, o BC afirma que “não se faz necessária” a geração de superávits primários do setor público de ampla magnitude. Essa necessidade de gerar superávits maiores, segundo o banco, ocorria quando havia preocupação de solvência do setor público, o que não ocorre agora“.

E numa tarde inspirada ele arrematou:

Tem que perguntar para o mercado por que há falta de confiança na política fiscal“. Ora se o mercado não confia isso é problema do mercado, o governo não tem nada com isso!!! Parabéns Carlos Hamilton de Araújo, você demonstrou que minha preocupações eram infundadas!!! O mantra neoliberal está finalmente expulso do BACEN!!!

Advertisements